google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0

ACIDENTE DA MANHIÇA: Governador da província de Maputo chama automobilistas de “terroristas” da estrada

Júlio Parruque Governador da Província de Maputo, foi obrigado a reunir com os dirigentes do distrito de Manhiça urgentemente devido ao fatídico acidente de viação ocorrido na tarde de ontem, Sábado(067), no Posto Administrativo de 3 de Fevereiro, Distrito da Manhiça prolongamento da Avenida de Moçambique(EN1), para se inteirar do que aconteceu.

Parruque visitou também os dois sobreviventes ainda em observação no Centro de Saúde daquela Vila, tendo na sequência dirigido uma Sessão Extraordinária do seu Executivo alargada ao Governo do Distrito da Manhiça, Autoridades Religiosas e Tradicionais, Parceiros e Sociedade Civil.

 Antes de mais, agradeceu a todos pela sua solicitude em acorrer aquele Distrito para apoiar às vítimas daquele sinistro, pois o gesto mostrou que a população não está abandonada, tem o apoio do seu Governo. Na sequência, Governador solidarizou-se com as vítimas do sinistro e seus familiares, disponibilizando o apoio incondicional do seu executivo.

Apesar do sucedido ontem, o Governador da Província de Maputo enfatizou que aquela parcela do país é corredor de Desenvolvimento e não de sangue nas suas estradas, e o facto de ser uma província a jusante não justifica a indisciplina que tem ceifado vidas humanas. Até agora, a província conta com 104 acidentes de viação que resultaram em 128 óbitos, contra 89 acidentes em igual período em 2020.

Segundo um comunicado enviado a nossa redacção, Júlio Parruque reforçou o apelo a Polícia da República de Moçambique na repartição da polícia de trânsito e ao INATRO para intensificarem a fiscalização rodoviária na Manhiça 24h/24h, bem como no controlo de velocidade. E às infracções cometidas pelos automobilistas, exigiu tolerância zero e aplicação severa das punições nos termos da lei.

Constatada a fraca sinalização rodoviária de Marracuene a Incoluane, o Governante desafiou a ANE e a AMVIRO a viabilizar a sinalização rodoviária naquele troço, bem como a redefinição dos limites de velocidade nas áreas de intenso tráfego.

O Governador exigiu o controle acirrado da capacidade e lotação das viaturas principalmente dos semi-colectivos, pois que no último acidente, para além do presumível excesso de velocidade aventa-se a superlotação em claro desrespeito das vidas humanas. 

Por isso, desafiou ao pelouro da PRM em coordenação com o Distrito da Manhiça e todos os outros parceiros operativos para garantir a presença policial no terreno, principalmente nos meses de Novembro e Dezembro, deve ser permanente e sempre que necessário obrigar os automobilistas a repousar, sobretudo os de longo curso.

Às delegações do INATRO, ANE e Cruz Vermelha que vão apoiar com meios circulantes, o Governador apelou que os mesmos fossem alocados para a fiscalização a título exclusivo no Distrito da Manhiça, até decisão contrária.

Parruque enfatizou que a sensibilização e educação rodoviária devem prevalecer, e devem assumir os diferentes formatos sem descurar a aplicação impiedosa de sanções aos prevaricadores e assim devolver dignidade à Província de Maputo.

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *