google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Álvaro Massingue defende a concessão pelos bancos comerciais de uma linha de crédito especial para agricultura em Moçambique

O Presidente da Câmara de Comércio de Moçambique (CCM), Álvaro Massingue, desafia os bancos comerciais a concederem linhas de crédito direccionadas à agricultura, com um custo atractivo, para impulsionar este sector que absorve 80% da população, economicamente, activa, no país.

No seu entender, muitos processos de pedido de crédito, por parte das Pequenas e Médias Empresas (PME’s) que operam na área de agricultura têm tido pouco sucesso. Diante desta situação, sugere medidas urgentes para que este sector de actividade possa encontrar “uma almofada num fundo de garantia agrícola ou na cobertura, pelos seguros, dos riscos associados a actividade”.

Álvaro Massingue destacou a necessidade de o Governo criar políticas e estratégias fiscais de incentivo à agricultura, em toda a sua cadeia de valor. “Registamos, com alguma apreensão, a introdução de mais uma taxa de furos de água que vai trazer impactos negativos para o desenvolvimento da agricultura, pelo que apelamos para que se reveja a medida, pelos impactos que isso vai representar, nos indicadores do doing business.

O posicionamento de Massingue surge no âmbito do 1.º Seminário Virtual, organizado pela CCM, em parceria com IHK Region Suttgart, sobre cadeia de valor de arroz e tomate. O evento que decorreu esta semana juntou membros do Governo e sector privado.

“Elegemos o arroz e o tomate pela sua importância na economia e pelo facto de constituir matéria-prima para dinamizar as indústrias associadas, bem como pelo contributo valioso na potencialização das rendas familiares”, justificou. 

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *