APOIO HUMANITÁRIO DA OJM VAI ABRANGER “UM POUCO” OS REFUGIADOS EM NAMPULA-AFIRMA ANCHIA TALAPA

APOIO HUMANITÁRIO DA OJM VAI ABRANGER “UM POUCO” OS REFUGIADOS EM NAMPULA-AFIRMA ANCHIA TALAPA

Anchia Talapa Formiga, Secretária Geral da Organização da Juventude Moçambicana (OJM), braço juvenil do partido no poder, avançou hoje (24) que as campanhas de ajuda de ajuda humanitária desenvolvidas pelos jovens desta organização irá abranger “um pouco” a província de Nampula. A dirigente falava em uma visita de trabalho com duração de dois dias a Cidade de Maputo, onde poderá apoiar as camadas vulneráveis com material de higiene e limpeza.

A Secretária-geral da OJM avançou ainda que esta a percorrer o país com objectivo de aferir o grau de funcionamento do seu agremiado, e também apelar o engajamento dos jovens no reforço das medidas e ações face aos desafios da COVID-19.

Viemos dar o nosso contributo com kits para fazer face a está pandemia da Covid-19, mas também dar apoio às vítimas na zona norte e centro do país. Está campanha também irá abranger um pouco Nampula, uma vez que muitos que fogem dos ataques terroristas em Cabo-Delgado têm o destino a Nampula”, disse a camarada.

Ainda nesta agenda de visitas, Anchia Talapa pretende mobilizar a juventude no âmbito da campanha de repúdio aos ataques terroristas no norte do país, assim como as acções da chamada Junta militar da Renamo liderada por Mariano Nhongo, no centro do país. Entretanto, a Camarada defende que a juventude não deve se deixar levar pelo dinheiro oferecido para destabilizar o país. A quantia de 20 mil meticais foi referenciado pela dirigente da OJM como o valor que os jovens têm auferido nas suas incursões.

A mensagem que deixamos a estes jovens é que, não colaborem com os terroristas pois eles só vieram com objectivo de destruir o nosso país. É sabido que o nosso país foi conquistado por jovens e, é preciso que nós sendo jovens asseguremos o nosso país e não deixemos levar por moedas de 20 mil meticais”, exortou Anchia.

Já no Centro de Saúde de KaTembe a mesma explicou a nossa reportagem que, nesta campanha muitos estudantes e doentes serão beneficiados de kits de higienização assim como também de produtos alimentares.

Trazemos produtos alimentares para apoiar os centros onde estão os estudantes que nos últimos tempos clamam por produtos alimentares e de higiene, posto de saúdes também serão visitados com o objectivo de dar um apoio a estes centros e aos doentes que lá se encontram”, frisou a secretária.

No encontro com os estudantes bolseiros da Universidade Joaquim Chissano que encontram-se no lar daquela instituição, os estudantes queixaram-se da falta de subsídios e sem acompanhamento médico. De realçar que a OJM forneceu kits para fazer face a covid-19 e produtos alimentares no lar dos estudantes universitários na cidade de Maputo.

Somos alunos bolsistas nesta Universidade e temos muito que reclamar mas só iremos pegar os três grandes pontos nomeadamente, temos falta de subsídio neste ano só recebemos uma vez. Não temos nenhum acompanhamento médico, já tivemos colegas que perderam o ano por falta de um acompanhamento médico e face está pandemia não temos tido aulas online porque a nossa Universidade não fornece Internet”. Apontaram os estudantes.

34
LEIA  FOME É A CAUSA DA VIOLAÇÃO DO ESTADO DE EMERGÊNCIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

%d bloggers like this: