Cerca de 140 cidadãos estrangeiros impedidos de entrar em Moçambique na quadra festiva

Cerca de 140 cidadãos estrangeiros impedidos de entrar em Moçambique na quadra festiva

Cerca de 140 cidadãos estrangeiros impedidos de entrar em Moçambique na quadra festiva – O Serviço Nacional de Migração recusou a entrada em Moçambique, 144 cidadãos estrangeiros. Este número representa um aumento em cerca de 150% quando comprado a igual período de 2018/2019 onde apenas 58 cidadãos estrangeiros foram recusados a entrada no território nacional.

Das recusas aponta-se como causas, falta de clareza quanto ao motivo de vinda ao país com 82%, vistos falsos com 10% e passaporte com menos de seis meses de validade com 7%.

A nacionalidade Paquistanesa foi a que registou mais recusa de entrada no país com 33% e o Aeroporto Internacional de Mavalane na cidade de Maputo foi o que registou maior número de recusa de entrada durante o período da operação Hoyo-Hoyo com 33%.

A informação foi tornada pública nesta quinta-feira, (02.01.2020) pelo Serviço Nacional de Migração na voz de Celestino Matsinhe, que revela que passados vinte dias da operação Hoyo-Hoyo 2019/2020, o SENAMI registou em todos postos de travessia nacionais 510.520 movimentos dos quais 296.468 entradas e 214.052 saídas.

Este número de viajantes que atravessaram os postos fronteiriços nacionais desde o início da operação Hoyo-Hoyo a 13 de Dezembro até 01 de Janeiro de 2020, corresponde a 67% do movimento migratório previsto para a presente quadra festiva estimado em 800.000 viajantes.

O porta-voz do SENAMI Celestino Matsinhe, disse que 101.486 viajantes que entraram no país são nacionais e outros 194.982 são estrangeiros, sendo que sairam 73.326 nacionais e 138.726 estrangeiros.

O dia de pico migratório foi registado a 21 de Dezembro de 2019 onde houve 45.195 viajantes nos postos de travessia nacionais, dos quais 31.581 entradas e 13.614 saídas.

O porta-voz frisa ainda que no último dia do ano 31 de dezembro de 2019, verificou-se uma pressão no movimento de entradas quando comparado ao movimento de saídas tendo-se registado 10.812 viajantes do quais 3.855 nacionais e 6.996 cidadãos estrangeiros.

Do movimento global teve-se um total de 19.677 viajantes. Já no primeiro dia do ano 2020 a operação hoyo-hoyo registou menor fluxo migratório com 10.535 viajantes e redução da pressão do movimento de saídas no país com um registo de 5.352 viajantes.

Ao todo, o posto de travessia de Ressano Garcia foi o que registou maior fluxo migratório com um total de 259.138, deste número 169.432 entradas e 89.706 saídas, o que corresponde uma percentagem de 51% e em seguida o posto de Machipanda com um total de 76.686 com 41.727 entradas e 33.658 saídas e uma percentagem de 15%.

 

 

511

Propriedade de Edições do Jornal Visão, Registado na República de Moçambique em Dezembro de 2016 no Gabinete de Informação, Instituição de Tutela sobre o sector da comunicações e radiodifusão com procedimentos dos ministérios da Justiça, Interior, Comércio e Indústria e dos Transportes e Comunicações. Publicações Semanais por PDF e diárias através do Website www.jornalvisaomoz.com. Notícias de Moçambique e do mundo na hora certa, com factos e argumentos fiáveis e credíveis.

×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie-nos um e-mail para admin@jornalvisaomoz.com

× DENUNCIE SEM MEDO AGORA!
%d bloggers like this: