Cerca de 20 milhões USD serão investidos para a construção da central de armazenamento de dados em Moçambique

Esta certeza foi tornada pública na última quinta-feira em Maputo durante a cerimônia de laçamento da primeira pedra pelo Governador da Província de Maputo, Júlio Paruque, acompanhado pelo CEO da Raxio group, Robert Mullins.

Trata-se de um investimento avaliado em vinte (20) milhões de dólares com uma capacidade de geração de mais de 250 postos de trabalho que por sinal será a primeira maior central de armazenamento de dados independente em Moçambique.

Pretende-se desta forma, implantar uma abordagem moderna no contexto de armazenamento, proteção e processamento de dados numa nuvem local que adesa os 6 data base center do País, incluindo a empresa parque de ciências de tecnologias de Maluana no distrito de Manhiça.

Falando a imprensa, Robert Mullins, CEO da Raxio Group, disse que o objectivo é equipar o maior centro de dados de última geração, uma peça fundamental de infra-estrutura digital que ajuda e permite este país a continuar os seus processos de transformação digital.

“A principal instalação da Raxio Moçambique será mantida com os princípios fundamentais de sustentabilidade da empresa para minimizar o choque ambiental através de uma melhor seleção de equipamentos e design sustentável”, argumentou Mullins.

Por outro lado, Júlio Paruque, Governador da Província de Maputo enalteceu a iniciativa e mostrou a necessidade de eliminar-se barreiras quando o assunto é acesso a terra para investimentos.

“Não queremos andar a dar voltas porque temos um investidor que quer terra, mas para ter acesso dá se muitas voltas e até há mafiosos e oportunistas que adiam o desevolvimeto”, terminou.

É de frisar que o uso da Internet em Moçambique está a aumentar rapidamente, com o número de utilizadores de Internet mais do que duplicando de 15% para 32% entre 2015 e 2021, o que indica que brevemente, o país passará por uma significativa transformação digital.

Essa largura de banda internacional urgentemente necessária, vai acelerar ainda mais a adoção do uso da Internet no país, aumentando a necessidade de uma forte espinha dorsal de infraestruturas. Assim, a Raxio fornecerá serviços de colocação neutra em nuvem e operadora para seus clientes, criando um ambiente ideal para empresas e provedores de conectividade se interconectarem, processarem e armazenarem dados.

Além de fornecer capacidade de armazenamento, muito necessária para o espinha dorsal digital do país, a Raxio Moçambique vai garantir a interconexão por meio de salas redundantes de encontro. Operadores de rede móvel, ISPs e operadoras poderão interligar-se entre si e com os seus clientes, reduzindo os custos dos conteúdos em todo o país, numa altura em que novos cabos submarinos também vão proporcionar a Moçambique uma melhor conectividade internacional.

 

553
Compartilhar isso

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.