DISTRITO MUNICIPAL DE LHAMANCULO JÁ COM GRUPOS APURADOS PARA A COMPETIÇÃO CULTURAL ALUSIVO AO DIA DA CIDADE DE MAPUTO

DISTRITO MUNICIPAL DE LHAMANCULO JÁ COM GRUPOS APURADOS PARA A COMPETIÇÃO CULTURAL ALUSIVO AO DIA DA CIDADE DE MAPUTO O Centro Comunitário de Chamanculo ” C”, foi no passado sábado o palco de grande evento cultural que, abrangeu todas as faixas etárias.

O mesmo foi organizado para os residentes deste Distrito apenas e é da iniciativa da Vereação da área Autárquica de Lhamanculo com o objectivo de apurar três grupos que irão representar o aquela zona Autárquica no concurso cultural alusivo as celebrações do dia da cidade de Maputo, que assinala-se no dia 10 de Novembro na praça da Independência.

Serão vários grupos que, em actividades culturais serão juntados no mesmo local com o objectivo de conquistar o prémio de melhor classificado sendo que o vencedor vai levar um valor monetário de 100 mil meticais. Na selecção dos três grupos, Zeferino Chioco Vereador do Distrito mostrou-se satisfeito com a prestação de mais de uma dezena de participantes que estiveram no local a lutaram para o apuramento.

″Infelizmente em um concurso, temos que escolher o vencedor, não é que os outros não estejam bem ou que não mostraram o espetáculo, se dependesse de mim levaria a todos mas o membro do jurado escolheu os que foram destacados entre os melhores, é uma norma e devemos cumprir″, disse Chioco.

O evento iniciou com a atuação do grupo de idosos que fez uma dança tradicional de Nampula. Mesmo com a falta de aplausos, a festa continuou.

Logo a seguir, foi uma explosão no centro comunitário com a entrada de mais um grupo de idosos denominados Makwaela de Chamanculo, onde aplausos e gritos foram a forma arranjada para recebê-los. Com vozes muito bem afinadas, passos bem combinados desfilava o primeiro grupo apurado para o concurso. Estes após serem selecionados deixaram claro que desde a sua primeira aparição neste evento nunca ficaram de fora dos três melhores.

Um outro espetáculo tradicional foi transmitido pelo grupo Mbeu de Chamanculo, nome que significa semente”. Mbeu é um grupo liderado por um jovem que têm a ambição de levar a sua colectividade para outra dimensão.

Ao som de batuques, com peneiras nas mãos, o Mbéu representava a dança tradicional de Nampula. Ninguém conseguiu segurar a vontade de dançar até que o vereador levantou para recordar a sua infância quando dançava Xigubo. Este foi o grupo apurado na categoria de jovens.

Esmeralda Uamusse, jovem de 14 anos integrante da equipe por sinal a mais nova, disse aos nossos microfones que não irão somente para representar o Distrito, mas sim para vencer o grande prémio.

“Tenho 14 anos de idade e danço neste grupo há dois anos. Estamos felizes por ser o grupo jovem apurado e queremos voltar para casa no dia 10 com os cem mil meticais. Estamos muito bem preparados e não tememos nada. Estamos cientes que teremos fortes adversários pois cada grupo quer mostrar o seu melhor mas o prémio é nosso os outros vão para aplaudir-nos “, afirmou a Esmeralda.

Para além de ser experiente, o grupo está motivado para chegar à fase final e pretende levar a sua dança ao mundo. Já na categoria das crianças foi apurado o grupo que representou a dança do Mapico. Foi uma grande festa no Chamanculo e até as crianças estiveram a fazer espetáculo no palco.

Importa salientar que, esta é a primeira vez que a comunidade sente-se mais envolvida e inclusa pois, nas edições anteriores o apuramento era feito apenas nas escolas e beneficiando somente aos estudantes, não dando oportunidade aos artistas comunitários. No fim da cerimónia, Zeferino Chioco pediu a colaboração de todos empresários locais para que se expanda a cultura. O vereador afirmou ainda que Lhamanculo é o Distrito com mais talento a nível da cidade desde o futebol até à música.

DISTRITO MUNICIPAL DE LHAMANCULO JÁ COM GRUPOS APURADOS PARA A COMPETIÇÃO CULTURAL ALUSIVO AO DIA DA CIDADE DE MAPUTO  – DEVEMOS EXALTAR A NOSSA CULTURA- TERESA SITÓE

Teresa Sitóe, Directora Distrital da Educação, esteve no local para acompanhar de perto a selecção dos grupos que irão representar Lhamanculo nas festividades da capital. Esta por sua vez teve um discurso curto mas objectivo. Na sua primeira intervenção, pediu a exaltação da cultura moçambicana acrescentando ainda que esta actividade só é possível com a ajuda da comunidade.

A mesma criticou os pais e encarregados de educação que impedem os seus filhos ou educandos a praticarem desporto e a se envolverem em danças tradicionais.

Teresa vai mais longe na sua explanação ao afirmar que não é possível viver sem cultura pois ela é a nossa identidade. A fonte avançou ainda que a prática destas actividades influenciam positivamente no combate ao consumo excessivo de álcool e drogas por parte da camada juvenil.

Sitóe pediu ainda para que os três grupos apurados consigam representar com dignidade o Distrito e que tragam todos os prémios do evento.

Teresa finalizou a sua intervenção dando um puxão de orelhas aos jovens estudantes, incentivando-os a preparem-se fervorosamente para os últimos testes e que estejam preparados também para os exames porque, apenas um bom aproveitamento pedagógico Distrital pode fazer com que ela sinta-se muito orgulhosa.

DISTRITO MUNICIPAL DE LHAMANCULO JÁ COM GRUPOS APURADOS PARA A COMPETIÇÃO CULTURAL ALUSIVO AO DIA DA CIDADE DE MAPUTO  – FALTA DE APOIO PODE MATAR O SONHO DE JOVENS

Ainda no mesmo âmbito, Carlitos Muchiwa, jovem músico de 24 anos de idade, diz sentir uma desvalorização da música em Moçambique e que apenas os apoiados é que mais aparecem e que os mesmo nada cantam. Frustrado por falta de apoio, Muchiwa revelou que irá abandonar a carreira musical por estar sem meios para publicar e gravar os seus trabalhos.

O artista contou ao Jornal Visão que iniciou a sua carreira musical aos 10 anos de idade na Igreja e já tem 4 músicas gravadas e as mesmas distribuiu em todas as rádios da capital mas as faixas só são tocadas apenas na Rádio Voz Coop, uma estação de rádio comunitária com um curto raio de abrangência.

“Rapaz humilde e talentoso canta com banda e toca guitarra”. Este pede apoio dos empresários que pretendem ver a música moçambicana a crescer, para apoiá-lo.

O músico diz que têm visto diariamente muitos colegas seus em televisões que nada cantam mas com apoio dos empresários conseguem chegar longe. Ele lamenta este facto e acrescenta ainda que, “não basta cantar, a pessoa deve saber o que pretende dizer a cada estrofe da sua música”, desabafou.

Para responder a aflição do jovem músico, Zeferino Chioco disse que têm um projecto desenhado onde, a partir de Janeiro próximo, cada bairro a nível do Distrito vai organizar um evento mensal com a participação dos artistas locais onde os melhores poderão receber ajuda dos empresários locais para a promoção dos seus trabalhos.

 

1.065
LEIA  CRIADOS MECANISMOS PARA CONHECER HISTÓRIA DO CONTINENTE AFRICANO
%d bloggers like this: