EDITOR DO JORNAL VISÃO AGREDIDO E INTIMIDADO PELA PRM NA MATOLA

EDITOR DO JORNAL VISÃO AGREDIDO E INTIMIDADO PELA PRM NA MATOLA

EDITOR DO JORNAL VISÃO AGREDIDO E INTIMIDADO PELA PRM NA MATOLA No princípio da manhã deste sábado o Jornal Visão foi surpreendido com mais uma acção brutal da polícia da República de Moçambique na Matola.

Tudo aconteceu quando o Jornalista e Editor deste Semanário estava no habitual exercício da sua função de colher informação para posterior divulgação, agentes da Lei e Ordem interromperam-no sem no entanto usar a cordialmente humanamente ensinada a todos seres.

Nádio Taimo conta que foi violentado, atirado a viatura da polícia e ameaçado.

A violência, ocorreu por volta das 11h:26min no prolongamento da rua da SONEFE, Bairro de Ndlavela no Município da Matola, durante a cobertura de uma manifestação de moradores, que colocaram barricadas na estrada exigindo lombas depois que 4 adolescentes foram atropelados ontem e uma menina de 17 anos perdeu a vida no local. Importa referir que o automobilista que atropelou os adolescentes não parou para socorrer, fugiu.

“A polícia não quis saber o que eu estava a fazer com o celular na mão e me agrediu. Tudo isso aconteceu um minuto depois que eu, acabava de falar ao celular com meu colega fotógrafo, a chamada caiu. Eu estava para retornar a chamada e dois agentes vieram me pegar pelas calças, arrancaram o celular forçando me a entrar na viatura. Chegado a viatura da polícia antes de me empurrarem para entrar, os agentes gritavam comigo e diziam que querem-me prender e me chamboquear”, relata a vítima.

Taimo, confessa que mais uma vez sentiu-se violado por pessoas que o conheciam e que a todo custo tentavam silenciá-lo.

“No momento de entrar, um pegou pelo cinto e uma outra agente dentro da viatura pegou me pela camisola, e assim não havia como eu entrar porque cada um puxava me para o seu lado. Tive que pedir para me deixar entrar sozinho, mesmo assim acabaram empurrando-me para o interior da viatura”, disse.

Os agentes em questão sem autorização e com tom de quem não precisa disso, foram mexendo no telemóvel do EDITOR deste Semanário. Tiveram na sua posse o celular e crachá de trabalho, procurando imagens no meu celular.

“Eu dizia que não filmei nada, que apenas estava a fazer chamada. Mesmo assim continuavam a me ameaçar. Disseram também que eu apaguei, tentava explicar mas eles mandavam calar, até que um agente quis ouvir”, avança a Vítima acrescentando que: “não entendo porque não acreditam, o celular tem problemas de câmara traseira. “A câmara não funciona”, foi quando um agente que estava com o celular confirmou que a câmara não funciona mesmo, daí que mandaram o Jornalista descer da viatura. “Entregaram-me o celular, mas, no momento que arrancaram o celular, quebraram uma parte da tela e rebentaram meu cinto. Depois de eles perceberem que eu não havia feito nada de errado, os agentes começaram a gritar comigo de novo, a dizer que jornalista tem abuso, e que da próxima vez iriam-me chamboquear. Um dos agentes chegou a dizer que ia me bater e que eu não o faria nada. Até disse, que poderia tirar o uniforme e ficar de cueca apenas para me espancar”, Conta a Fonte.

Nádio Taimo, que já foi ameaçado telefonicamente por agentes da polícia de Nampula, por o confundirem com o editor do Jornal Visão Nampula dizendo, “Agora te apanhamos vamos te tirar a licença e veremos se vai continuar a escrever”.

Lembrar que entre 2018-2019 este foi alvo da PRM quando tentava fazer imagens de agressões por parte da corporação.

“Depois continuei a fazer a cobertura da manifestação, quando o meu colega fotógrafo chegou um dos agentes disse para ele: “Se você me fotografar será um problema”.

O Jornalista conta que após o sucedido ele e seu colega dirigiram-se a 7ª Esquadra da T-3 para meter a queixa pela agressão e o agente em serviço disse que deveriam voltar na segunda-feira porque os agentes envolvidos já haviam despegado, eram do turno do fia anterior (sexta-feira, 19).

O Jornal Visão(Jornalismo Social e Responsável), assume que o exercício da liberdade de expressão e imprensa em Moçambique não é mais honroso.

Um dia você pode estar vivo e noutro morto porque a PRM decide sempre optar por violência além da conversa.

Afinal o departamento de ética da Polícia serve para ensinar o quê? Será que toda polícia é educada a espancar e intimidar jornalistas? Jornalista dispõe de armas para tirar o sossego do polícia ou é uma fraca interpretação das normas legais que conduzem o sistema de Lei, Ordem e Justiça moçambicanos.

627

Propriedade de Edições do Jornal Visão, Registado na República de Moçambique em Dezembro de 2016 no Gabinete de Informação, Instituição de Tutela sobre o sector da comunicações e radiodifusão com procedimentos dos ministérios da Justiça, Interior, Comércio e Indústria e dos Transportes e Comunicações. Publicações Semanais por PDF e diárias através do Website www.jornalvisaomoz.com. Notícias de Moçambique e do mundo na hora certa, com factos e argumentos fiáveis e credíveis.

×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie-nos um e-mail para admin@jornalvisaomoz.com

× DENUNCIE SEM MEDO AGORA!
%d bloggers like this: