ENFERMEIROS QUEIXAM-SE DA FALTA DE MATERIAL DE TRABALHO NA PROVÍNCIA DE MAPUTO

ENFERMEIROS QUEIXAM-SE DA FALTA DE MATERIAL DE TRABALHO NA PROVÍNCIA DE MAPUTO

Celebrou-se ontem,12 de Maio o dia Internacional dos enfermeiros sob o lema “Uma voz para liderar levando o mundo pela saúde”, facto este que levou a Secretaria do Estado da província de Maputo, Vitória Diogo dirigiu-se ao hospital geral da Machava na manhã desta terça-feira com objectivo de parabenizar os profissionais daquela unidade Hospitalar.

Na ocasião o profissional de Saúde, Torberto lembrança, em representação dos enfermeiros revelou que a Província de Maputo conta actualmente com 772 Enfermeiros, dos quais 631 são mulheres e 141 são homens, encontrando-se distribuídos pelas 112 unidades sanitárias da província. Deste número, 101 tem o nível de formação superior, 503 médio, 155 básico e os restantes13 elementar.

É nossa convicção que os enfermeiros estão para emprestar o seu saber na contínua melhoria do estado de saúde da nossa população, e deste modo, contribuir para um mundo mais saudável. Queremos reconhecer o esforço que o Governo tem vindo a empreender ao longo dos tempo, com vista ao desenvolvimento das carreiras dos profissionais de Saúde contudo, queremos aproveitar esta ocasião para solicitar a Vossa Excelência, apoio na criação de facilidades para que os profissionais da classe de Enfermagem interessados, prossigam com os seus estudos no nível superior”, explanou Torberto.

Entretanto, apesar dos esforços do governo, os enfermeiros queixam-se da falta de equipamento hospitalar de protecção individual. “Queremos manifestar o nosso comprometimento em continuar a trabalhar em prol da saúde da nossa comunidade, sobretudo neste momento em que o país e o mundo enfrentam a pandemia da Covid-19. Solicitamos para que, neste momento da pandemia covid-19, se presta uma atenção redobrada a todos profissionais de saúde, provendo-lhes os necessários equipamentos de protecção individual no exercício das suas actividades”, concluiu a fonte.

Por seu turno, Vitória Diogo, Secretaria do Estado na Província de Maputo inicio falando sob o lema escolhido para este ano nas celebrações do dia do enfermeiro. A governante diz o lema demonstra o quão os enfermeiros são importantes na provisão de cuidados de saúde. Diogo na sua visita as instalações do Hospital Geral da Machava fez a entrega de um túnel de desinfecção, cinquenta viseiras, 500 pares de luvas, 300 barretes, sabão líquido, 300 máscaras cirúrgicas e 90 de pano de algodão no âmbito do reforço das medidas de prevenção da propagação da pandemia da covid-19.

Pretendemos com este acto contribuir para a melhoria das condições de protecção tanto dos profissionais da saúde, como dos pacientes e utentes desta unidade sanitária que é de referência no tratamento da tuberculose. Este equipamento é fruto da generosidade dos nossos parceiros, o nosso amigo Salimo Abdula e a Comunidade Santo Egídio, a quem digo Khanimambo”, avançou.

A secretaria lembrou que Província de Maputo conta com um total de 773 enfermeiros, e deste global, 413 são enfermeiros gerais, e 360 de Saúde Materna e Infantil, com rácios de 4 mil 892 habitantes por enfermeiro, e 5 mil 613 habitantes por enfermeira, respectivamente a Organização Mundial de Saúde recomenda um rácio de três mil habitantes por enfermeiro. Por isso, o Governo a vários níveis está empenhado em formar e absorver mais profissionais de enfermagem para o Sistema Nacional de Saúde.

“Estamos cientes como entidade governamental que trabalham vezes sem conta sem transporte desejado de casa para o local de trabalho, muitas vezes com escassez de algum material nas nossas unidades sanitárias, mas sempre souberam dignificar os serviços de saúde, fruto do seu comprometimento e sentido de responsabilidade e dever, fazendo jus ao seu juramento os valores de humanismo, profissionalismo, sensibilidade, solidariedade, cortesia, ética e deontologia, respeito ao próximo, entrega e zelo ao trabalho, devem estar sempre presentes na vossa actuação e relacionamento com os doentes dos nossos serviços de saúde”, afirmou.

A Governante foi mais longe ao exortar aos profissionais a distanciar-se de actos de corrupção, e continuarem a desempenhar as suas funções com respeito e responsabilidade. “A capacidade ou disposição do enfermeiro em lidar com o paciente, determina também a avaliação do trabalho de todo um sistema por parte da nossa população que é utente dos nossos serviços. Basta um único enfermeiro desempenhar inadequadamente os seus serviços para que toda uma instituição seja manchada e mal avaliada. Basta uma enfermeira exigir suborno ou pagamento adicional ilegal para cuidar melhor do paciente, para que todo sistema fique endémico”, concluiu.

De realçar que a Secretaria do Estado Vitória Diogo apontou que durante o quinquénio passado foram realizados actos administrativos, nomeadamente progressões, promoções, mudanças de carreira, para além de novos ingressos. Vale também lembrar que um dos desafios actuais no ramo da enfermagem continua a ser a humanização dos serviços prestados, de modo a que todo aquele que se dirige a uma unidade sanitária saia satisfeito pelo atendimento que recebeu. Facto este que o governo irá aprimorar os mecanismos de controlo e a disseminar e replicar as boas práticas, sempre com o envolvimento dos utentes que frequentam estes serviços.

246

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: