FORCOM E MISA PREOCUPADOS COM O SUMIÇO DE IBRAÍMO MBARUCO E COM DETENÇÃO DO JORNALISTA DA STV

FORCOM E MISA PREOCUPADOS COM O SUMIÇO DE IBRAÍMO MBARUCO E COM DETENÇÃO DO JORNALISTA DA STV

Apesar de Ibraimo Abu Mbaruco, Jornalista da Radio comunitária de Palma desaparecido no dia 7 de Abril, o seu órgão não ser filiado ao Fórum Nacional das Rádios Comunitárias, o FORCOM diz estar muito preocupado e revoltado com o desaparecimento físico deste Jornalista.

Segundo Ferosa Zacarias, a sua organização manifesta a sua total disponível para junto do Instituto de comunicação social, Misa, Sindica Nacional de Jornalistas, órgão de comunicação social e organizações da sociedade civil envidar todo esforço possível com vista a exigir as autoridades competentes para que se sejam feitas devidas diligências na busca na busca da verdade.

Suspeita-se que tenha sido capturado pelas Forças de Defesa e Segurança-FDS quando regressava á casa por volta das 19 horas após mais uma jornada laboral, como anúncio o órgão de informação Carta de Moçambique. A Informação do jornalista segundo a CARTAMZ foi avançada por um colega seu da mesma rádio.

De acordo com as informações tornadas publicas, o jornalista Ibraímo terá enviado uma mensagem ao seu Coordenador da Rádio, informando que este tinha sido detido por militares e que encontrava em uma situação bastante complicada.

O MISA-Moçambique manifestou-se está semana entorno do mesmo assunto, e também condenando veementemente a detenção ilegal do jornalista da STV, Izidine Achá, ocorrido nesta terça-feira (14), na Cidade de Pemba. Realçando que, Izidine foi detido por militares durante 4 horas, das 09 às 13 horas.

O profissional foi retirado o seu celular, o mesmo material que este usava para captar imagens das operações que estavam a decorrer num dos bairros da cidade de Pemba. Entretanto, o jornalista foi aconselhado a não denunciar a sua detenção, as imagens captadas pelo profissional foram depois eliminadas pelos militares, os mesmos avisaram que este deveria ter cuidado.

“O porta-voz da Polícia disse que Izidine não estava detido e que a informação sobre a sua detenção não passava de um mal-entendido”, disse o irmão do jornalista, ao MISA-Moçambique.

Em contacto com o MISA-Moçambique, o jornalista confirmou que esteve retido na Esquadra da Polícia. A detenção de Izidine ocorre precisamente uma semana depois do desaparecimento do jornalista e locutor da Rádio Comunitária de Palma, Ibraimo Abu Mbaruco.

Segundo informações do comunicado do MISA-Moçambique, “nota que as ordens expressas dos militares para que o jornalista não revelasse a sua detenção, e a tentativa descarada da Polícia de manipular a informação são uma evidência clara de que eles sabiam que o seu acto era ilegal, e estavam cientes de estarem a desobedecer as normas e regras emanadas dos seus próprios superiores”.

“O MISA-Moçambique condena estes actos de agressão contra jornalistas, e mais grave ainda, no pleno exercício das suas obrigações profissionais. Insta, por isso, as autoridades do Governo para que usem todos os meios para permitir que os jornalistas trabalhem em ambiente de liberdade. Apela ainda que seja restituído à liberdade o repórter desaparecido desde dia 7 de Abril. Às autoridades militares e policiais, o MISA-Moçambique reitera o seu respeito pela missão que têm de garantir a segurança e tranquilidade públicas, e apela para que não usem do seu poder para molestar jornalistas em pleno exercício das suas responsabilidades profissionais”, lê-se no comunicado.

635
%d blogueiros gostam disto: