google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Huawei inaugura seu maior Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Protecção de Privacidade na China

 A Huawei inaugurou semana finda seu maior Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Protecção de Privacidade em Dongguan (China) num evento onde estiveram presentes representantes da GSMA, SUSE, Instituição Britânica de Normalização e reguladores dos Emirados Árabes Unidos e Indonésia,

Durante a abertura do novo centro, a Huawei também lançou sua Linha de Base de Segurança de Produto, marcando a primeira vez que a empresa disponibilizou sua estrutura básica de segurança de produto e práticas de gerenciamento para a indústria na totalidade. Essas acções são parte dos esforços mais amplos da empresa para se envolver com clientes, fornecedores, organizações de padrões e outras partes interessadas para fortalecer a segurança cibernética em todo o sector.

 “A segurança cibernética é mais importante do que nunca” comentou Ken Hu, presidente rotativo da Huawei durante o evento inaugural do centro em Dongguan. “Como indústria, devemos colaborar, trocar melhores práticas e desenvolver nossas capacidades comuns em governança, padrões, tecnologia e verificação. Devemos dar razões ao público e aos reguladores para confiar na segurança dos produtos e serviços que utilizam diariamente. Juntos, podemos alcançar o equilíbrio perfeito entre segurança e desenvolvimento em um mundo cada vez mais digital”.

Nos últimos anos, a digitalização industrial e novas tecnologias como 5G e inteligência artificial (IA) criaram um ciberespaço mais complexo do que nunca, aliado ao facto de que as pessoas passaram uma maior proporção de seu tempo “online” durante a pandemia da Covid-19. Essas tendências levaram a um aumento dos novos riscos de segurança cibernética.

A Huawei abriu o Centro Global de Cibersegurança e Transparência para Protecção de Privacidade em Dongguan com o objectivo de lidar com esses problemas fornecendo uma plataforma através da qual as partes interessadas da indústria podem compartilhar seus conhecimentos sobre governo eletrônico e colaborar estreitamente no desenvolvimento de soluções técnicas. O centro foi projectado para apresentar soluções e compartilhar experiências, facilitar a comunicação e inovação conjunta, e promover testes de segurança e verificação. Estará disponível para reguladores, organizações de teste externos independentes e organizações de padronização, bem como clientes, parceiros e fornecedores da Huawei.

 Para avançar na consolidação de uma abordagem unificada da segurança cibernética na indústria de telecomunicações, organizações como a GSMA e o 3GPP também trabalharam com actores da indústria para promover especificações de garantia de segurança nessas e outras certificações independentes. Essas bases são amplamente aceites na indústria e desempenharão um papel importante no desenvolvimento e verificação de redes seguras.

 Mats Granryd, gerente geral da GSMA, durante o evento disse que o fornecimento de serviços novos e existentes na era 5G será em grande parte baseado na conectividade oferecida pelas redes móveis e dependerá fundamentalmente da tecnologia subjacente ser segura e confiável. “Iniciativas como a GSMA 5G Base de conhecimento de cibersegurança, sendo desenvolvida para ajudar as partes interessadas a entender e mitigar riscos em redes, e NESAS, um quadro de garantia de segurança para toda a indústria, foram concebidos para facilitar melhorias nos níveis de segurança dos equipamentos de rede em todo o sector” disse Mats.

A Linha de Base, com outros mecanismos de governança da Huawei, ajuda a garantir a qualidade, segurança e confortabilidade dos produtos da empresa. Ao longo dos anos, a Huawei construiu mais de 1.500 redes que conectam mais de três bilhões de pessoas em 170 países e regiões. Nenhuma dessas redes jamais experimentou um grande incidente de segurança.

“Esta é a primeira vez que compartilhamos nossa estrutura de fundamentais de segurança com toda a indústria, não apenas nossos principais fornecedores”, disse Sean Yang, director do Departamento Global da Huawei de Cibersegurança e Protecção de Privacidade.

“Queremos convidar todas as partes interessadas, incluindo clientes, reguladores, organizações de normalização, provedores de tecnologia e organizações de teste, a juntar-se a nós para analisar e desenvolver conjuntamente os fundamentos da cibersegurança. Juntos podemos melhorar continuamente a segurança dos produtos em toda a indústria”, frisou San.

Actualmente, a indústria ainda carece de uma abordagem coordenada baseada em padrões, especialmente no que diz respeito à governança, capacidades técnicas, certificação e colaboração.

“O risco de segurança cibernética é uma responsabilidade compartilhada”, concluiu Ken Hu no seu discurso. “Governos, organizações de normalização e provedores de tecnologia devem trabalhar mais de perto para criar um entendimento comum dos desafios de segurança cibernética. Este esforço deve ser internacional. Devemos definir objectivos comuns, alinhar responsabilidades e colaborar na construção de um ambiente digital confiável que aborde os desafios do presente e do futuro”.

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *