MINEDH E MISAU JUNTAM-SE PARA DIVULGAÇÃO DA PREVENÇÃO DO COVID-19

O Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (MINEDH), com o apoio de Ministério da Saúde (MISAU) realizaram está terça-feira a segunda palestra de prevenção ao coronavírus na Escola Secundária Josina Machel, no distrito KaMpfumo na cidade de Maputo.

A palestra foi dirigida pela Vereadora na área da Saúde e Acção Social Conselho Municipal de Maputo Alice Abreu, que contou também com a presença do Director da Educação e Desenvolvimento Humano a nível da cidade de Maputo, Artur Dombo, a Directora Nacional da Saúde Escolar do MINEDH Arminda Chaquisse, Directores de todas escolas da cidade de Maputo, Professores e Alunos de diversas Instituições.

“Coronavírus é uma doença que surgiu nos finais do ano passado na China, o vírus causa doenças como resfriados comuns vulgarmente chamada de constipação, doenças respiratórias, pode também provocar doenças mais graves afectando o pulmão podendo levar a pneumonia, pode afectar os nossos rins podendo levar a uma insuficiência renal e problemas cardíacos quando o vírus afectar o nosso coração”, explicou a Doutora, falando da origem do vírus, assim como os problemas que a doença pode causar no ser Humano.

A fonte diz ainda que a doença contrai-se através de gotas de saliva, do contacto directo (toque ou aperto de mão, contacto com boca, nariz ou olhos e abraços) e Contacto indirecto pode-se contrair através de objectos ou superfícies contaminadas (botões, corrimão, maçanetas, celulares, teclas e apoio de transportes públicos). A prevenção do Covid-19 segundo o Ministério da Saúde é, lavar sempre as mãos com água, sabão ou cinza, cobrir a boca com o braço dobrado em forma de “V” sempre que tossir, bocejar ou aspirar; Lavar e cozinhar bem os alimentos e abrir as janelas para maior circulação do ar (em edifícios ou viaturas).

Alice disse que, actualmente Moçambique ainda não registou nenhum caso da doença, a mesma revelou que o país está organizado nas portas de entrada dos aeroportos, fronteiras e portos, para se fazer o rastreio de todas as pessoas que dão entrada em Moçambique, em que fazem controle e avaliação da temperatura, porque é o sinal mais comum para uma pessoa afectada, e também é verificado se a pessoa vem de um país que já registou caso da doença, e a mesma é obrigada a ficar em quarentena. Para concluir, a Doutora apelou a todos os presentes na palestra a compartilhar a informação com a comunidade que ainda desconhece as causas, sinais e prevenção da doença.

Os Alunos que participaram na palestra louvam a iniciativa dos dois ministérios, a fazerem palestras nas escolas como forma de informar aos alunos de uma forma detalhada, tudo em relação ao coronavírus. É o caso da Noémia Isabel Mateus, que diz: “Eu acho positiva essa iniciativa de se informar os alunos a cerca da doença, porque escola é um dos lugares mais frequentado, cheio de alunos que por sua vez não tinam ideia do que é coronavírus, aprendi muita coisa e pretendo ensinar aos outros o que aprendi na palestra”.

Por outro lado, Bento Armando Simango, estudante da Josina Machel, disse que vai fazer a difusão da informação que teve na palestra usando as redes sociais, porque segundo ele os jovens actuais ficam mais tempo nas redes sociais, e vai se aproveitar desta para propagar as informações da doença. De referir que, ainda não há oficialmente um tratamento específico para o coronavírus, os sinais e sintomas apresentados devem ser tratados de acordo com a sintomatologia e terapêutica adequada.

256

Capa da Semana

Fresquinha e Quente está a edição número 105

Anuncie aqui – 872007240

PUBLICIDADE E ANÚNCIOS
PUBLICIDADE E ANÚNCIOS
%d blogueiros gostam disto: