MISAU lança 2ª fase da Campanha de Preparação da Saúde Mental nos cuidados de saúde primários em Nampula

A Ministra da Saúde,
procedeu na manhã de ontem (segunda-feira, 11 de Março) na Cidade de Nampula, o
Lançamento da Campanha de Preparação de Integração da Saúde Mental nos Cuidados
de Saúde Primários.

As
perturbações mentais e do comportamento representam uma grande carga dentre as
doenças não transmissíveis e contribuem significativamente para os anos vividos
com incapacidade em virtude de serem na sua maioria, doenças crónicas.
Mais de 13% da carga global das doenças é devido a
doença mental (inclui perturbações mentais, neurológicas e abuso de
substâncias). Embora a grande maioria das pessoas afectadas pelas doenças
mentais viva em países de baixa e média renda, a maioria dos recursos de saúde
mental está localizada em países desenvolvidos.
Essa falta de recursos para o tratamento efectivo
contribuiu para uma grande “lacuna de tratamento”, ou seja, até 4 em
cada 5 pessoas com doença mental nos países de baixo e médio rendimento não têm
acesso a cuidados de saúde mental.
Em
Moçambique, estas perturbações continuam a ser uma grande preocupação,
principalmente ao nível dos cuidados primários onde os recursos para a
intervenção são ainda escassos. Existem várias evidências de que quanto mais
cedo se fizer a intervenção, maiores serão as possibilidades de recuperação
completa e menor o impacto negativo pessoal, familiar e social. As directrizes
do Plano de Acção para a Saúde Mental da OMS 2013-2020, do qual Moçambique é
signatário, recomendam e alertam para a necessidade de se investir na saúde mental
ao nível dos cuidados primários.
Nesse
contexto, o Departamento de Saúde Mental tem vindo a buscar soluções baseadas
em evidências para garantir o atendimento em saúde mental ao nível dos cuidados
primários, principalmente recorrendo a estratégias de transferência ou partilha
de competências (task-shifting /
task-sharing
). A principal estratégia é dotar os profissionais de saúde dos
centros de saúde e outros provedores ao nível comunitário de capacidades para
avaliar, diagnosticar e tratar as perturbações mentais comuns e referir os
severos para unidades sanitárias de níveis mais elevados.
Com
estes trabalhos o MISAU espera reduzir a lacuna no diagnóstico e tratamento das
perturbações mentais nomeadamente depressão, ansiedade, stress pós-traumático
(perturbações mentais comuns), perturbação bipolar, depressão psicótica,
psicose e stress grave (perturbações mentais graves), consumo abusivo de álcool
e outras drogas e risco de suicídio.

227

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: