NAÇÕES UNIDAS LAMENTAM MORTE DE 19 FUNCIONÁRIOS EM ACIDENTE AÉREO NA ETIÓPIA

Um total de 19 pessoas que trabalhavam para agências ou organizações ligadas às Nações Unidas estão entre as 157 vítimas do acidente ocorrido neste domingo, dia 10 de março de 2019, com o Boeing 737 da Ethiopian Airlines nos arredores de Adis Abeba, de acordo com as primeiras indicações.
Resultado de imagem para acidente aéreo

Segundo o Departamento de Salvaguarda e Segurança das Nações Unidas, UNDSS, pelo menos 19 funcionários da organização morreram no acidente.
O Programa Mundial de Alimentação, PMA, perdeu sete funcionários, da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, morreram dois, o mesmo número que a União Internacional de Telecomunicações, UIT. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, a Organização Internacional para as Migrações, OIM, no Sudão, o Banco Mundial e a Missão de Assistência da ONU na Somália, Unsom, perderam um funcionário cada um. Seis trabalhadores do Escritório das Nações Unidas em Nairobi, Unon, também perderam a vida.
Uma das vítimas é o moçambicano Marcelino Tayob, conselheiro sénior da União internacional de Telecomunicações, nos escritórios regionais de Adis Abeba.
O secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, disse estar “profundamente entristecido com a perda trágica de vidas”, e enviou condolências à Etiópia e a parentes das vítimas. “As Nações Unidas estão em contacto com autoridades da Etiópia e diligenciando para saber com detalhes que funcionários da ONU perderam a vida na tragédia”, assinalou Guterres.
O Coordenador Residente Interino das Nações Unidas em Moçambique, afirmou também que “a tragédia afecta profundamente toda a família da ONU”. As Nações Unidas em Moçambique estendem assim suas mais profundas condolências aos familiares e entes queridos dos funcionários das Nações Unidas, bem como de todos os outros passageiros e tripulantes.
As bandeiras em escritórios das Nações Unidas no mundo estiveram esta segunda-feira a meia-haste em homenagem aos colaboradores do Sistema da ONU que morreram na queda do Boeing 737 da Ethiopian Airlines como singelo reconhecimento “ao compromisso e às contribuições” pelo serviço desses funcionários.
278

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: