O grande segredo da produtividade e consequente crescimento económico

O grande segredo da produtividade e consequente crescimento económico

A PRODUTIVIDADE é definida como sendo a combinação da eficácia com a eficiência na produção de algo. É um rendimento resultante da combinação de diferentes recursos necessários para se garantir a produção de uma determinada quantidade de bens e serviços oferecidos, numa determinada escala de tempo. É a relação existente entre os meios disponíveis, os recursos utilizados e a produção final.

Em economia, a produtividade é entendida como sendo a relação existente entre aquilo que é produzido e os meios empregues. Entre esses meios podemos encontrar: mão-de-obra, matéria-prima, energia, maquinaria, etc. A produtividade associa-se igualmente ao tempo gasto em cada etapa de produção: quanto menor for o tempo gasto, mais produtivo é o sistema. Conforme já dito entrelinhas, a eficácia e a eficiência são factores-chave da produtividade.

A eficácia consiste na qualidade da acção que permite alcançar os resultados pretendidos, e está directamente relacionada à competência, ou seja, é a acção que permite produzir os efeitos desejados.

Um líder eficaz consegue definir cautelosamente a modalidade de execução de suas actividades, criando a viabilidade necessária, planificando as respectivas etapas de acções, para posteriormente realizar e finalizar com sucesso tais actividades.

A eficácia está relacionada directamente ao resultado pretendido. Nesse caso, quando um líder é eficaz, ele impulsiona a sua equipe a alcançar os objectivos da organização, bem como os seus próprios objectivos.

A eficiência é o processo de executar aquilo que foi planificado em menor tempo possível. Um líder eficiente é alguém capaz de coordenar, planificar e organizar o trabalho de seus colaboradores da melhor maneira, respeitando a competência, os limites e a “disponibilidade” de cada um.

Ela implica necessariamente saber gerir os recursos disponíveis de modo a alcançar o resultado pretendido em menor tempo possível. O tempo é o recurso mais caro de todos, daí a extrema necessidade de saber o gerir astutamente.

O saber gerir astutamente o tempo implica exigir de si mesmo a capacidade de renunciar as ocupações negligenciáveis. Essas ocupações não só gastam o tempo enquanto recurso, como também podem implicar gastos financeiros adicionais, fadiga e distracção.

A capacidade de conduzir os outros líderes envolvidos com eficiência é um dos principais pilares para se garantir o crescimento económico, pois garante o aumento da produtividade, a redução de conflitos e a gestão astuta do tempo.

No entanto, importa destacar, tanto a eficácia quanto a eficiência são factores-chave para se garantir uma maior produtividade e o consequente crescimento económico. Saber equilibrar os dois factores constitui uma arma segura, dado que nos permite olhar para todos os ângulos da situação com prudência, assertividade e precisão.

Falando especificamente de organizações cujos lucros são obtidos em função do trabalho desenvolvido ao longo de um determinado ciclo de tempo, é preciso que todos os directamente envolvidos avaliem constantemente os resultados obtidos através de suas acções, pois dessa forma eles poderão conseguir saber se estão sendo eficazes e eficientes o suficiente ou não.

Para saber isso, é imperioso definir os indicadores que ajudarão a acompanhar o andamento do trabalho. Alguns desses indicadores podem ser: a qualidade e quantidade do estoque produzido em cada ciclo ou intervalo de tempo, o número de clientes conquistados e número de clientes perdidos em cada ciclo, nível de satisfação dos clientes conquistados e dos próprios colaboradores, etc. Essa análise pode ser feita semanal, quinzenal ou semanalmente.

Conforme Donald Trump “seus clientes insatisfeitos são a sua principal fonte de aprendizagem”. É preciso saber olhar para as perdas como um factor de aprendizagem e não para desistência ou frustração.

Conforme Benjamin Disrael “o Homem não é criatura das circunstâncias… as circunstâncias é que são criaturas do Homem”. Portanto, é preciso saber se focar na busca de soluções e não o contrário. Isso implica saber prever a queda e a contornar da melhor forma possível.

Nem sempre esse contorno poderá ser um trabalho individual, por isso deve-se garantir que haja comunicação e interação permanentes entre todos os directamente envolvidos no processo. A colaboração de dois líderes, por exemplo, cria condições para que haja um terceiro líder imaginário, designado “mente mestre” e isso, eventualmente, torna o sucesso numa realidade.

Quem desiste de seus propósitos frente aos primeiros obstáculos que enfrenta é, sem dúvida, fraco. Toda queda tem duas razões principais: transmitir-nos um aprendizado e nos tornar mais fortes.

“… O pessimista vê uma dificuldade em cada oportunidade, enquanto o optimista vê uma oportunidade em cada dificuldade… no meio da dificuldade reside sempre uma oportunidade… no fundo do túnel, acontece ver uma luz que não seja a de comboio… a grande vantagem que existe quando se está no fundo poço, é que qualquer movimento nos leva para cima…”

Numa primeira instância é preciso saber prever e contornar os obstáculos. Não podendo agir desse modo, é preciso alterar a sequências de etapa das acções, e rever cuidadosamente a pirâmide de prioridades, necessidades e anseios.

Em todo trabalho nas organizações ou empresas existe uma postura indispensável de se manter entre os gestores, colaboradores e trabalhadores de modo a se garantir boa imagem e prestígio, a saber: ética, profissionalismo, empatia, humildade, justiça, tolerância e cooperação.

A ética implica saber agir de forma conveniente e necessária. Implica saber lidar com cada um segundo a sua individualidade, sem exclusão, descriminação nem violabilidade físico-psicológica; profissionalismo é um conjunto de competências, conduta e responsabilidades que regem um individuo no seu campo de trabalho; empatia é a condição de se colocar no lugar do outro, buscando agir ou pensar da forma como ele pensaria ou agiria no nosso lugar; simpatia é ser modesto, simples e consciente das suas próprias limitações, sem receio de pedir auxílio nas pessoas mais indicadas; justiça implica tratar a todos de igual modo; tolerância é uma disposição para admitir modos diferentes de pensar, de agir e de sentir dos outros; cooperação é a acção de oferecer auxílio, apoio ou contribuição.

“…Um cliente satisfeito só trará mais um, mas o insatisfeito leva consigo dez …” Desconhecido!

57

Propriedade de Edições do Jornal Visão, Registado na República de Moçambique em Dezembro de 2016 no Gabinete de Informação, Instituição de Tutela sobre o sector da comunicações e radiodifusão com procedimentos dos ministérios da Justiça, Interior, Comércio e Indústria e dos Transportes e Comunicações. Publicações Semanais por PDF e diárias através do Website www.jornalvisaomoz.com. Notícias de Moçambique e do mundo na hora certa, com factos e argumentos fiáveis e credíveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

All original content on these pages is fingerprinted and certified by Digiprove
×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie-nos um e-mail para admin@jornalvisaomoz.com

× DENUNCIE SEM MEDO AGORA!
%d bloggers like this: