google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Polícias Guineenses recebem formação da INTERPOL em combate ao tráfico de armas de fogo e crimes associados

Realiza-se, entre os dias 24 e 26 de Novembro, em Bissau, o Curso de Formação contra o Tráfico de Armas de Fogo e Crimes Associados, uma iniciativa do Programa de Armas de Fogo da INTERPOL, em coordenação com o PACED – Projecto de Apoio à Consolidação do Estado de Direito nos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste, financiado pela União Europeia e cofinanciado e gerido pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P. (Camões I.P.)
A sessão de encerramento tem lugar no próximo dia 26 de Novembro, e contará com a presença do Procurador-Geral da República, Bacari Biai, da Directora Nacional da Polícia Judiciária, Teresa Alexandrina da Silva e de representantes da Embaixada de Portugal e da Delegação da União Europeia na Guiné-Bissau.

A formação tem lugar no seguimento da 1.ª Reunião Regional Contra o Tráfico de Armas de Fogo e Crimes Associados, que juntou as polícias de investigação criminal dos PALOP e de Timor-Leste nos dias 6 e 7 de Julho de 2021, destinada a 25 elementos das autoridades policiais com competência no combate a este tipo de criminalidade, designadamente, a Polícia Judiciária e Polícia de Ordem Pública.
O Curso de Formação contra o Tráfico de Armas de Fogo e Crimes Associados visa o apoio e
aprimoramento da capacidade nas áreas vinculadas à investigação do tráfico de armas de fogo e crimes
relacionados, incluindo a identificação, rastreamento e investigação de armas de fogo, bem como
comparação forense e balística.
A INTERPOL é uma organização intergovernamental de cooperação policial que integra as forças de
aplicação da lei de 194 países e apoia o trabalho conjunto dos seus membros oferecendo apoio técnico e
operacional.
Com duração até Dezembro de 2021, o PACED dispõe de um orçamento global de 8,4 milhões de euros,
e tem por objectivo contribuir para a afirmação e consolidação do Estado de Direito nos PALOP e em
Timor-Leste, através da melhoria da capacidade destes Estados em prevenir e lutar eficazmente contra
a corrupção, o branqueamento de capitais e o crime organizado, especialmente o tráfico de
estupefacientes.

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *