PRM desmente alegações da Renamo de assassinato dos seus membros em Manica

PRM desmente alegacões da Renamo de assassinato dos seus membros em Manica

Foi na última semana que o partido da Resistência Nacional Moçambicana-Renamo, delegação política provincial de Manica convocou a imprensa para denunciar supostas sevícias, com destaque para a onda de ameaças, raptos, execuções sumárias e violações sexuais de seus membros, actos alegadamente protagonizados pelas Forças de Defesa e Segurança.

Na ocasião, o Porta-voz da segunda maior força política do país em Manica, Eduardo António Leite, apontou a morte de dois membros seniores do partido recentemente baleados pelas autoridades policiais, nos distritos de Vandúzi e Sussundenga, como prova das suas acusações.

Reagindo as afirmações daquele político que chegou a candidatar-se a liderança da autarquia de Chimoio nas eleições de 2008, o chefe do departamento de relações públicas no Comando Provincial da Policia da Republica de Moçambique, Mário Arnaça, disse que os depoimentos cedidos por Eduardo Leite não passam de infundados, com o intuito de manchar o bom nome da corporação.

Nós a PRM, Comando Provincial de Manica repudiamos os pronunciamentos sem fundamentos proferidos pelo partido Renamo, que na pessoa do seu porta-voz veio a imprensa acusar as nossas forças policiais raptar e assassinar os seus membros no posto administrativo de Dombe, distrito de Sussundenga e no distrito de Vandúzi”, disse Mário Arnaça.

As províncias de Manica e Sofala, têm sido alvo de sucessivos ataques de homens armados da autoria da autoproclamada Junta militar da Renamo. Instado a pronunciar-se sobre o assunto, aquele quadro sénior da PRM em Manica, vincou estar em curso uma acção conjunta em parceria com a sua congénere de Sofala com vista a estancar as incursões da facção da Renamo, liderada pelo major general, Mariano Nhongo.

Quanto aos ataques, dizer que nos estamos a trabalhar de mãos dada com o Comando Provincial de Sofala, visando acabar na totalidade com a acção macabra deste grupo, ate porque os ataques que ocorreram ontem tiveram lugar em Mutindiri, região que como devem saber é pertencente a província de Sofala”, explicou Arnaça.

Ainda no domingo passado (17) no distrito de Nhamatanda, província de Sofala na sequência de um ataque armado a três autocarros dos quais, dois autocarros da Transportadora Nagi Investimentos e um da Citi Link uma pessoa perdeu a vida e outras três ficaram gravemente feridas. O ataque que correu há cerca de 40 quilómetros do distrito de Gorongosa, província de Sofala aconteceu por volta das sete horas deste domingo segundo relatos de testemunhas.

Os feridos foram transportados para o Hospital Provincial de Chimoio, onde recebem tratamentos. Entretanto, uma das vítimas é uma mulher de cerca de 40 anos de idade que morreu e três outros cidadãos feridos que seguiam no autocarro da Nagi Investimentos, o qual fazia o trajecto Maputo-Quelimane. Refira-se que as regiões de Muda Serração, Amatongas, Mpindanganga, Doiroi, Maforga, e Inchope, localizada ao longo da estrada nacional numero seis são as que têm sido mais fustigadas pelos ataques da Junta Militar do maior partido da oposição, ao nível da província central moçambicana de Manica, vitimando vidas humanas para além de um rasto de destruições.

846

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

×

Olá!

Clique em um de nossos representantes abaixo para bater um papo no WhatsApp ou envie-nos um e-mail para admin@jornalvisaomoz.com

× DENUNCIE SEM MEDO AGORA!
%d bloggers like this: