DIVULGADOS DADOS DO PRIMEIRO INQUÉRITO DE PESSOAS QUE INJETAM DROGAS

INDIVÍDUOS DOS 18 A 24 ANOS SÃO OS
QUE MAIS USAM DROGAS INJETÁVEIS

O inquérito foi realizado nas Cidades de
Maputo e Nampula, os dados foram recolhidos, em 2014, o mesmo apresenta evidências
não apenas da prevalência de HIV, Hepatite B e Hepatite C entre pessoas que
usam drogas injetáveis, mas também fornece informações sobre os conhecimentos,
atitudes e comportamentos de risco para a aquisição da infecção pelo HIV
nesta população chave.
Resultado de imagem para consumo de drogas MAPUTO

Por: Nádio Taimo


Foram escritas no inquérito 353
pessoas que injetam drogas em Maputo e 139 em Nampula entre Setembro de 2013 e
Março de 2014 das quais, a prevalência do HIV entre pessoas que injetam drogas
foi de 50.1℅ em Maputo, onde a maior parte dos que injetam drogas esta
infectada e 19.9% em Nampula, quanto a Hepatite B a prevalência é de 32.1% em
Maputo e 36.4 % em Nampula, já para a Hepatite é de 44.6% para Maputo e 7% para
Nampula
.
Os Dados estimam que 0.22% da
população adulta de Maputo injetam drogas
Correspondente a
1689 PID, e para Nampula a percentagem é de 0.17% da população adulta
equivalente a 520 PID.
A maior parte
destas pessoas que injetam drogas em Maputo é de faixa etária dos 25 aos 34
anos de idade, enquanto para Nampula é dos 24 ou menos anos de idade. Em
relação ao gênero, o sexo masculino foi mais predominante, com 92.9% em Maputo
e 97.0% em Nampula  onde a grande parte
deste grupo era solteiro ou nunca tinha casado.
Das drogas mais
consumidas, a Heroína foi a mais injetada, e mais de quatro em 10 PID partilhou
agulhas ou seringa alguma vez na sua vida.
Nos 12 meses
anteriores ao inquérito, 30.4 % dos homens que injetaram drogas em Maputo e
60.3% em Nampula teve doas ou mais parceiras sexuais ocasionais, entre as
mulheres que injetaram drogas em Maputo 
40.5% teve dois ou mais parceiros sexuais neste período, entre as
pessoas que injetam drogas que tiveram relações nos 12 meses anteriores ao
inquérito 47.6 % em Maputo e 70.9% em Nampula não usou preservativo na último
relaxação sexual.
No mesmo período
7.9% e 32.6% deste grupo em Maputo e Nampula teve alguma experiência de
discriminação e 72.2% e 42.6% já estivera detidas.
Os resultados
deste inquérito são de extrema importância para o desenho adequado de
intervenções para reduzir o risco de infecção e melhorar o acesso aos serviços
de prevenção, cuidados e tratamento do HIV e hepatites virais.Por outro lado,
este inquérito irá complementar os esforços nacionais e internacionais,
melhorando a compreensão e acompanhamento da evolução da epidemia de HIV em
Moçambique, contribuindo deste modo para o alcance das metas estabelecidas no
Plano Estratégico Nacional de Resposta ao HIV e SIDA.
418
LEIA  NA PRESIDÊNCIA DA CTA HÁ 1 ANO: Vuma faz balanço do seu mandato
pt_PT
en_ZA pt_PT
%d bloggers like this: