Reduz a pobreza em Moçambique em 46%

 Reduz a pobreza em Moçambique em 46%

Reduz a pobreza em Moçambique em 46% – Informação avançada, quinta-feira finda 27 de junho, pelo Secretario Permanente do Ministério da Economia e Finanças durante o seminário realizado pelo Programa das Nações Unidas e parceiros para o Desenvolvimento, com objectivo de juntos refletir sobres os desafios para o desenvolvimento nacional no âmbito da agenda 2030.

O pais esta entre os 193 Estados-Membros das Nações Unidas que, em Setembro de 2015, adaptaram agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, incluindo os seus 17 objectivos das ODS, que assenta nos compromissos internacionais da agenda Africana 2063, onde com adaptação da agenda 2030, Moçambique comprometeu-se a não deixar ninguém para trás na busca das ODS.

Moçambique ocupa o terceiro lugar entre os países africanos mais afectados por ameaças naturais, incluindo secas, cheias e ciclones o que representa constrangimento no desenvolvimento Nacional. Os ciclones recentes Idai e Kenetth que tiveram lugar em Marco de 2019, e causaram perda de vidas humanas, destruição generalizada de infraestruturas e abrigos, bem como a interrupção de serviços básicos, mercados e meios de subsistência. Mais de 1.5 milhões de pessoas foram afectadas, onde 650 pessoas perderam as suas vidas e cerca de 750.000 precisavam de assistência urgente, das quais 53% eram mulheres.

O governo e os parceiros de cooperação estimaram as necessidades de reconstrução em 3.2 bilhões de dólares norte-americanos, sendo o sector dos transportes e habitação aqueles que sofreram mais danos e o da agricultura que sofreu mais perdas.

Na abertura do seminário o representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento em Moçambique Alfredo Teixeira disse que os desafios e oportunidades são ilustrativos da complexidade da agenda 2030, onde serão necessárias soluções de políticas integradas, que requerem uma abordagem transversal nas esferas de governação social, económica e ambiental, assim como a mobilização de recursos financeiros públicos e privados.

LEIA  INGC RECEBE APOIO PARA VÍTIMAS DO IDAI

Alfredo Teixeira frisou que o PNUD enquanto agencia líder da Organização da Nações Unidas na área de desenvolvimento e erradicação da pobreza tem como prioridade apoiar o processo de implementação da agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

“ É importante realçar a necessidade do desenvolvimento e participação de toas as agências das Nações Unidas, bem como de outros parceiros nacionais e internacionais. O PNUD reitera a sua disponibilidade para apoiar este processo participativo, técnica e financeiramente”, acrescentou Teixeira.

O Secretario Permanente do Ministério da Economia e Finanças Domingos Lambo disse que o Chefe do Estado e das Nações Unidas assinaram na sexagésima secção da Assembleia das Nações Unidas em setembro de 2015 um compromisso de implementação da agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Domingos Lambo frisou que o objectivo principal para agenda 2030 é a erradicação da pobreza, tendo em conta que a última avaliação feita em relação a pobreza reduziu aproximadamente a 6 pontos onde estava em 52% da pobreza e actual prevalência esta nos 46%.

De realçar que a identificação preliminar qualitativa dos aceleradores dos ODS que fora apresentados cujo objectivo é estimular o progresso no alcance da agenda de Desenvolvimento, onde esta identificação qualitativa vai ainda passar por um processo de analise e por consultas abrangentes e inclusivas que resultarão da identificação final dos aceleradores dos ODS para Moçambique.

387
pt_PT
en_ZA pt_PT
%d bloggers like this: