REGIÃO NORTE DO PAÍS CONTARÁ COM NOVA CENTRAL FLUTUANTE

A informação foi tornada pública na quarta feira (20) na cidade capital pela Directora de Operação do Sistema Elétrico da Eletricidade de Moçambique ( EDM), Nilsa Pelembe em uma conferência de imprensa. Entretanto com objectivo de garantir maior estabilidade no sistema elétrico e melhorar a qualidade de energia fornecida na região norte do país, o trabalho de substituição da actual central flutuante de Nacala por outra de maior robustez e capacidade irá decorrer no período de 22 de novembro próximo a 2 de dezembro. Esta confere ainda melhor funcionalidade e permite uma melhor de Tensão e melhoria na qualidade de fornecimento.

Apoie o Jornalismo Social e Responsável por AQUI

Esta actividade surge no âmbito das várias acções do reforço e melhoramento das redes elétricas levadas a cabo pela EDM. O trabalho em curso obedecerá dois momentos, o primeiro irá decorrer entre os dias 23 à 24 onde consistirá na substituição da central e o segundo momento, está previsto para dias 24 de novembro à 2 de dezembro e consistirá nos trabalhos de montagens, parametrizações e testes de verificação do desempenho de equipamento da nova central flutuante.

Nilsa Pelembe, Directora de Operação do Sistema Elétrico da EDM apontou que as equipas da EDM estarão no Terreno para mitigar todo impacto negativo decorrente deste trabalho, pois conta que o período mais crítico seja de 22 à 24 de novembro, o qual ficarão vigente de verificação em Nacala, portanto o fornecimento da energia na região norte estará assegurado pela hidroelétrica de Cahora-Bassa e sendo a região norte, o centro de consumo estante aproximadamente dois mil km.

A Directora de Operação frisou que durante o período que irão decorrer os trabalhos, prevê-se perturbações na rede elétrica, baixa qualidade ou até mesmo restrições no fornecimento de energia elétrica, sendo assim como forma de mitigação dos impactos negativos, a EDM conta com a colaboração dos consumidores industriais no sentido de reduzir a sua produção por forma a colmatar e reduzir os impactos negativos decorrentes deste trabalho.

De referenciar que as equipas estarão no terreno para colmatar todo impacto negativo que se verifique no sistema e fazer com que se sintam deste trabalho, a EDM pretende evitar e reduzir restrições e perturbações ao nível dos consumidores domésticos. Pelembe diz ainda que o objectivo maior deste trabalho é garantir uma melhor qualidade de fornecimento a região norte, pois a EDM na sua função de operador de sistema têm como atribuições garantir a viabilidade e a qualidade de fornecimento aos seus clientes. Por tanto, o motivo pela troca da barcaça é para que a EDM possa garantir uma melhor fiabilidade de fornecimento ao sistema anual uma vez que a nova confere equipamentos e funcionalidades que permitem uma melhor regulação de tensão, também permite dispositivos que uma maior e rápida arborização, instabilidade do sistema aquando de alguma perturbação.

A fonte explicou que sobre os clientes especiais apenas 6 serão afectados e a EDM já se encarregou de os informar das actividades e solicitando a compreensão, e redução do seu consumo e produção. “O fornecedor e consumo ao combustível mantém, oque está sendo feito é uma substituição das barcaças gerados por outro que confere maior qualidade, garantia de estabilidade e controlo de atenção na rede, embora o novo barcaça tenha capacidade de funcionar a gás, contudo enquanto decorem as negociações para o fornecimento de gás este estará a funcionar a gasóleo”, referiu a fonte.

Ainda na sua intervenção, a fonte esclareceu que não existe nenhum investimento associado para esta troca, a EDM verificou apenas que a actual barcaça não confere os requisitos necessários para boa regulação da rede, porém teve contacto com o fornecedor onde houve colaboração da troca da actual pela nova que possa ajudar na melhoria da qualidade de fornecimento. A barcaça está neste momento a fornecer cerca de 100 mgwts de energia e o consumo de energia na zona norte do país ronda aos 140 mgwts referindo a partir de Nampula até Cabo Delgado. De realçar que a actual central elétrica flutuante na cidade de Nacala foi instalada em 2016 para beneficiar não só a região norte do país, mas também a vizinha Zâmbia, sendo que esta terminou o contrato em 2018.

627

Capa da Semana

Primeira Página em 60 Segundos - Jornal Visão Moçambique

Anuncie aqui – 872007240

PUBLICIDADE E ANÚNCIOS
PUBLICIDADE E ANÚNCIOS
%d blogueiros gostam disto: