Samora Machel Jr. considera existir uma “mão obscura” na gestão eleitoral moçambicana

Samora Machel Júnior critica “mão obscura” no seio dos órgãos que tutelam o processo eleitoral em Moçambique de lhe terem impedido de concorrer às eleições autárquicas pelo município de Maputo.
Samito Jr

Macchel Jr. pronunciou-se assim a DW África numa entrevista esta sexta-feira (30.11.), num dia em que teve lugar, em Lisboa, no ISCTE – Instituto Universiário de Lisboa uma homenagem ao seu pai, Samora Moisés Machel, primeiro Presidente da República Popular de Moçambique.
Na entrevista, Samora Machel Junior critica “a mão obscura” no seio dos órgãos que tutelam o processo eleitoral em Moçambique de lhe terem impedido de concorrer às últimas eleições autárquicas pelo município de Maputo.
Samora Machel Júnior afirma que não está de costas voltadas à FRELIMO, do qual é militante, apesar de discordar com o método usado pelo partido no poder para que o seu nome fosse retirado entre os pré-candidatos à cabeça de lista nas recentes eleições municipais.
343
%d blogueiros gostam disto: