google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0 google.com, pub-7868974546359612, DIRECT, f08c47fec0942fa0

SOB OLHAR IMPÁVIDO DO GOVERNO DE GAZA: Maqueze condenada a fome e miséria devido à escassez de água e energia

A crise de água, energia eléctrica e falta de vias de acesso são o denominador comum da Localidade de Maqueze, distrito de Chibuto, província de Gaza.

As preocupações que assolam aquela zona da província foram reveladas pelo Presidente da Associação de Amigos e Naturais de Maqueze(ANAMAQ), Betuel Mahanjane, que referiu que o abastecimento de Água à localidade é deficitário devido à gestão. Segundo conta, o distribuidor de água que actualmente gere o sistema está a tentar mas não consegue dar água a população como deve ser. “Sabemos que o governo está empenhado, já falamos com o governo e está empenhado, na reparação do sistema, porque sem água e agora com esta coisa da pandemia na época em que estamos a coisa está grave”.

Mahanjane revelou que a escola secundária que lá existe, sem água não é possível funcionar, e a população para ter água potável tem que percorrer distâncias longas até as lagoas. “A estrada que nós temos é a única, agora que choveu usamos a via Muhambe(Chibuto – Muhambe – Maqueze) numa distância de cerca de 90 km que são neste momento percorridos em 3 horas”. A fonte avança ainda que a estrada está totalmente esburacada, tem pontecas cortadas e aponta haver cerca de dois anos foi adjudicada a obra para a reabilitação da estrada mas “passado esse tempo a mesma não fez absolutamente nada”. Outro aspecto segundo o interlocutor é a questão da fome, pois mesmo com as chuvas que caíram recentemente a população vai ressentir-se deste fenómeno pois não se sabe se a próxima época chuvosa será regular ou não.

A ANAMAQ geria o sistema de abastecimento de água deixado pelo colono que só funcionou novamente depois da intervenção da organização junto do Ministério das Obras Públicas na altura que se cingiu em ampliar também o sistema de distribuição. Mas conforme relata Mahanjane, o sistema mais tarde foi retirado da ANAMAQ e alocado a um outro gestor que segundo conta não tem capacidade de gestão daí que este foi abaixo e resultou o problema de água que hoje se vive na localidade.

Num outro desenvolvimento o entrevistado revelou que Maqueze foi grande produtor de gado mas que a última estiagem entre 2018/2019 dizimou a maioria da espécie.

Ainda sobre o problema de água, o entrevistado aponta que não está a ser fácil a distribuição do precioso líquido pois o actual gestor faz o trabalho de forma intercalada abastecendo zonas um dia e outro não, e que a concepção pelo Ministério da Educação do sistema de lavatórios para alunos nas escolas secundárias, por mais bonito seja, conta o interlocutor, “é ineficaz devido à falta de água. E depois, fazendo-se furo nesta zona, a água é salubre. Essa água que nós temos é bombada há uma distância de 9 km. Com a pandemia, a água é preocupação, todas as estruturas estão preocupadas, mesmo o administrador está ciente disso”, concluiu.

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *