Utentes reclamam o estado do troço Zero/Morrumbala » Província » Jornal Visão

Utentes reclamam o estado do troço Zero/Morrumbala

Dificuldades de transitabilidade vai de mal para pior

A situação coloca em causa as trocas comerciais naquela zona da província da Zambézia.

A asfaltagem da estrada Morrumbala-sede à Localidade de Zero em Mopeia, na Estrada Nacional nº1 (EN1), numa extensão de 50 quilómetros poderá estimular a exploração de recursos naturais e as trocas comerciais, colocando os produtos em tempo útil nos mercados onde mais são precisos.

Dificuldades de transitabilidade vai de mal para piorOs residentes da vila-sede distrital de Morrumbala, entrevistados pela nossa Reportagem, pedem ao governo para mobilizar recursos financeiros visando asfaltar aquele troço, que poderá consequentemente estimular um conjunto de interesses económicos e a criação de vários tipos de pequenas empresas ao longo do trajecto da rodovia.

Nesta perspectiva, Domingos Jacinto, funcionário público, entende que a asfaltagem não pode apenas cobrir o troço Zero/Morrumbala-sede, mas também da vila ao Posto Administrativo de Chire, onde se encontra a reserva do calcário, matéria-prima para a produção de cimento.

Reconhece das promessas do governo sobre a asfaltagem daquele troço, mas segundo ele apenas vive-se de promessas que nunca se concretizam. “Acredito eu que assim que chegarmos nas campanhas eleitorais ai começa a saírem palavras bonitas mas que depois nada se faz” – vincou.

Um outro morador e vendedor no mercado local que se identificou pelo nome de Omar Manuel afirma que a estrada Zero/Morrumbala-sede constitui uma das maiores preocupações dos residentes locais porque, devido ao seu estado de fraca manutenção, tem dificultado muito as transacções comerciais. Aliás, segundo contou, actualmente a mesma estrada está de mal para pior e só traz prejuízos incalculáveis nas viaturas.

Explicou ainda que produtos frescos como por exemplo, peixe, frangos e outros chegam deteriorados aos consumidores porque a situação da estrada obriga os condutores a percorrerem em marcha lenta para não danificarem as suas viaturas. “Mas isso também perturba aos revendedores porque quando o produto chega deteriorado ninguém compra e perdem o seu dinheiro que investiram no negócio” – explicou

Dificuldades de transitabilidade vai de mal para piorMorrumbala é um distrito com enorme potencial agrícola, cujo escoamento passa pela existência de estradas que facilitem o transporte de pessoas e a transporte de excedentes agrícolas dos principais pólos de produção para os mercados consumidores.

Sabe-se que no pico da comercialização, entram e saem de Morrumbala mais de cem camiões de grande tonelagem, por dia, transportando cereais e outras culturas. As estradas também são usadas para o escoamento de inertes usados na construção civil, toros de madeira, entre outras mercadorias.

Comentários do Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: