EXPLORAÇÃO DA CLÍNICA UNIVERSITÁRIA: UEM decide avançar pela ordem correcta lançando concurso público

A Universidade Eduardo Mondlane (UEM) que suspendeu o contrato de concessão de exploração da clínica universitária em 2020, decidiu este mês de Agosto lançar um concurso público em busca de um explorador daquele centro hospitalar.

Um contrato assinado a 20 de Maio de 2020 com a empresa Affinity Health, SA, administrada por Rogério Uthui, por sinal, docente daquele estabelecimento de ensino, foi frustrado depois da publicação pelo Jornal Visão das anomalias no processo de concessão para a exploração da clínica, o que remeteu outra investigação pelo Centro de Integridade Pública que tomou conhecimento do assunto. A suspensão do contrato de concessão da clínica aconteceu após o Centro de Integridade Pública (CIP) ter questionado o processo de contratação em carta datada de 16/10/2020.

Um documento tornado público esta Sexta-feira, pela UEM, avança para um concurso Público em busca de contratar ou ceder a clínica para a exploração por interessados. Face a este processo que toma agora rumos diferentes e satisfatórios na gestão da coisa Pública, o Jornal Visão, vê materializado seu papel de Jornalismo, Social e Responsável.

UEM DOCUMENTO PUBLCO

O assunto em epígrafe consta da edição 116 de onde o Reitor da Univerdidade Eduardo Mondlane(UEM) Orlando Quilambo, teria autorizado a concessão por um suposto ajuste directo da Clínica Universitária a Affinity Helth, SA. Passados mais de 380 dias após a primeira notícias sobre o escândalo que permitiria uma exploração ilegal da Clínica, a UEM lança um documento anunciando um concurso público para a concessão daquele sector médico.

Na altura e em reuniões com o CIP, a UEM alegou ter aplicado, para o caso, um concurso com qualificação prévia e que várias empresas foram convidadas a apresentar propostas, tendo sido selecionada, após avaliação, a Affinity Health, SA de Rogério Uthui. Mesmo com a justificativa a UEM¸ disse que a suspensão do contrato anunciada em Novembro de 2020 visava rever e corrigir problemas detectados no processo.

A decisão de suspensão do contrato foi dada a conhecer durante um encontro entre a UEM, representada pelo respectivo Reitor, Orlando Quilambo, o Director da Fundação Universitária, Pedro Búfalo, técnicos da Direcção das Finanças e o CIP, representado pelo respectivo Director, Edson Cortez, e pesquisadores da área de Procurement e Parcerias Público Privadas, nomeadamente Borges Nhamirre e Aldemiro Bande.

‘Vide’ a edição 116 referente a 7 de Agosto de 2020:

Edição 116 07082020

 

 46 

Comentários do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.